Salvador

enquanto aguardamos a bendita esperança: a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo”, Tito 2:13.

SIMÃO Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco alcançaram fé igualmente preciosa pela justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo“, 2 Pedro 1:1

A composição do versículo (Tito 2:13) sai da linha escritural Paulina. Ou seja, Paulo nunca usou a terminologia “Nosso Deus e Salvador Jesus Cristo“. Quando ele citava a mesma sequência, em mais de 40 versículos, sempre disse da seguinte forma: “Nosso Deus e do Salvador Jesus Cristo“, ou mesmo “Nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo”.

Vamos consultar algumas traduções alternativas para Tito 2:13:

“A própria versão católica (religião berço da formulação do trinitarismo cristão), conhecida como a Bíblia Pão Nosso, da Editora Vozes, em conjunto com a Editora Santuário, verteu assim o verso de Tt. 2.13: “Aguardando nossa esperança feliz e a vinda gloriosa do grande Deus e do Salvador nosso, Jesus Cristo.”, e não foi a única tradução a fazer a distinção, a Bíblia do Peregrino, também católica, verteu: “Esperando a promessa feliz e a manifestação da glória do nosso grande Deus e do nosso Salvador Jesus Cristo.” (1)

Paulo nunca chama Jesus de Deus, mas sempre contrasta como Senhor para com o Pai, que é o verdadeiro Deus, e isso é decisivo para a tradução correta. Além disso, a conexão (v. 11) sugere naturalmente que o resplendor é do Pai e do Filho. De fato, Paulo usa uma linguagem clara chamando o Pai de Deus mais de 500 vezes nas Escrituras, e nem uma vez ele aplica o título de Deus para Jesus, e isso deve governar quanto ao que é a tradução correta. Basta voltar dois capítulos em Tito para estabelecer a base correta sobre a tradução. Veja, “a Tito, meu verdadeiro filho de acordo com a fé comum: Graça, misericórdia e paz da parte de Deus, o Pai, e do Senhor, Jesus Cristo, nosso Salvador” (tradução Mundial Inglês da Bíblia). Aqui Paulo distingue claramente entre Deus Pai e do Senhor Jesus. “Deus”, em Tito 1:4, não significa três pessoas, isso significa que ele é uma pessoa, e Jesus não é incluído como “Deus”. Isso dá mais provas de que Tito 2:13 não reflete um Deus trino, ou que Jesus é o Deus de Abraão, Isaque e Jacó.

Várias versões em Inglês acompanharam o sentido das traduções em português. Veja:

Complete Jewish Bible (CJB)

“while continuing to expect the blessed fulfilment of our certain hope, which is the appearing of the Sh’khinah of our great God and the appearing of our Deliverer, Yeshua the Messiah”.

enquanto continuamos a esperar o cumprimento abençoado de nossa esperança certa, que é a aparição da Sh’khinah do nosso grande Deus e a aparição do nosso libertador, Yeshua, o Messias

1599 Geneva Bible (GNV)

“Looking for that blessed hope, and appearing of that glory of that mighty God, and of our Savior Jesus Christ”.

Aguardando/procurando por essa abençoada esperança, o aparecimento da glória daquele poderoso Deus e de nosso Salvador Jesus Cristo

New American Bible (Revised Edition) (NABRE)

“as we await the blessed hope, the appearance of the glory of the great God and of our savior Jesus Christ”.

enquanto aguardamos a bendita esperança, a aparição da glória do grande Deus e do nosso salvador Jesus Cristo

Porém, a Escritura diz claramente que tanto a glória do Filho e a glória do Pai aparecerá: “Porque, qualquer que de mim e das minhas palavras se envergonhar, dele se envergonhará o Filho do homem, quando vier na sua glória, e na do Pai e dos santos anjos”, Lucas 9:26. A Palavra de Deus também ensina que quando Cristo vier, ele virá com a glória de seu Pai: “Porque o Filho do Homem há de vir na glória de seu Pai” (Mateus 16:27).

E aqui está a solução para o enigma; se o verso lê: “A Glória do grande Deus e Salvador, Jesus Cristo” leva a citação para um significado curioso: “A manifestação da Glória do nosso grande Deus e Salvador, [que é] Jesus Cristo”, Ou seja, Cristo é a gloriosa manifestação de Deus no último dia, o dia da sua vinda.

A leitura mais natural de Tito 2:13 é ver que Jesus não está sendo descrito como “o grande Deus e Salvador”, mas como “a glória do grande Deus e Salvador”.

“A quem reivindique a ocorrência da palavra “ἐπιφάνεια” (epifaneia) em Tt. 2.13 como aquela que sempre aponta para Jesus e com isso pretendem considerar o ser de “Deus” e o ser de “Jesus” nesse versículo como sendo o mesmo, mas é de se observar que o verso de Tito, em estudo, não diz que Deus irá aparecer, nem fala da epifaneia de Deus, fala, na verdade, do “aparecimento da glória do grande Deus”, e, nesse sentido Jesus mesmo diz em Jo. 8.54 ”…quem me glorifica é meu Pai, o qual dizeis que é vosso Deus” e, ainda, Mt. 16.27 que mais explicitamente diz: “Porque o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então dará a cada um segundo as suas obras”, bem como lucas Lc. 9.26 “…o Filho do Homem, quando vier na sua glória, e na do Pai e dos santos anjos.”, Jesus Cristo virá na glória de Deus, seu Pai … ” (2)

Assim, a “aparição” (epifaneia) em vista é a aparição da glória divina em Jesus Cristo. Isso pode parecer um pequeno ponto, mas também pode significar que estamos de volta ao pensamento mais claramente expresso na Cristologia da Sabedoria Cristã mais antiga: que em Jesus deve ser vista a glória de Deus, a glória da presença divina; Jesus Cristo visto mais como a manifestação visível do Deus invisível, Deus se manifestando em e através de Jesus, do que Jesus como Deus ou um deus como tal.

E por fim, temos uma terceira opção de tradução, que é aquela que elimina Deus do texto e enfatiza apenas a pessoa do Senhor Jesus.

Aguardando a abençoada esperança e a aparição gloriosa do nosso Salvador Jesus Cristo“.

Se este for o caso, então não há necessidade de comentários. A composição textual e por demais clara.

A conclusão desse pequeno artigo é que o texto tem muitas visões alternativas possíveis, mas que não podem ser usadas como boas evidências ou prova da divindade de Jesus ou como uma boa referência para a alegada identificação de Jesus como divindade.

O texto não nomeia Jesus como “Deus” e não nos leva a um conceito trinitário que fala da divindade inata de Jesus que é igual para o Pai, mas pode simplesmente refletir a alta estima de Jesus na estima de Deus. No final, o texto não pode servir como uma defesa para a crença sobre a alegada natureza divina de Jesus que faz dele Deus e igual ao Pai.

Vamos agora para 2 Pedro 1:1: “SIMÃO Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco alcançaram fé igualmente preciosa pela justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo“.

Curiosamente no versículo imediato Pedro muda drasticamente a forma de escrever, Veja que ele separa Deus e Jesus: “Graça e paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus, e de Jesus nosso Senhor

Pedro mostra de forma clara que ele não quis apresentar Jesus como Deus e Salvador ao mesmo tempo no v.1, pois o distingui na sequência imediata no v.2. Isso por si só lança suspeita sobre a reivindicação trinitária, especialmente porque Jesus é comumente chamado de “nosso Senhor” nas Escrituras. No entanto, a alegação trinitária nos faz crer que 2 Pedro 1: 1 é o único lugar em toda a Escritura onde Jesus é chamado “nosso Deus”. 2 Pedro 1: 2 faz uma clara distinção entre Deus e o Senhor Jesus. Esta seria uma linguagem muito confusa se “Deus” e o “Senhor” fossem dois títulos para uma pessoa no versículo 1, mas os mesmos dois títulos se referiam a duas pessoas diferentes no verso seguinte. Portanto, a alegação trinitária é uma proposta extremamente improvável.

A versão católica da Bíblia Sagrada da Editora Ave Maria traduziu: “Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, àqueles que, pela justiça do nosso Deus e do Salvador Jesus Cristo, alcançaram por partilha uma fé tão preciosa como a nossa”. Reconhecendo Deus e o Salvador como seres distintos.

Mesmo a Bíblia de Jerusalém que é uma tradução feita por católicos e protestantes, ainda que vertendo o trecho de forma tradicional, informa como primeira nota de rodapé a versão alternativa de tradução: “Ou: ‘de nosso Deus e do Salvador Jesus Cristo”.

A American Standard Version também faz distinção entre Jesus e Deus: “Simon Peter, a servant and apostle of Jesus Christ, to them that have obtained a like precious faith with us in the righteousness of our God and the’saviour Jesus Christ”.

Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que obtiveram semelhante fé preciosa conosco na justiça de nosso Deus e do Salvador Jesus Cristo

A Weymouth New Testament segue a mesma regra: “Simon Peter, a bond servant and Apostle of Jesus Christ: To those to whom there has been allotted the same precious faith as that which is ours through the righteousness of our God and of our Saviour Jesus Christ”.

Simão Pedro, servo e Apóstolo de Jesus Cristo: Para aqueles a quem foi atribuída a mesma fé preciosa que a nossa pela justiça de nosso Deus e de nosso Salvador Jesus Cristo“.

A Aramaic Bible in Plain English, elimina Deus do texto, apresentando o verso da seguinte forma: “Shimeon Petraus, a Servant and an Apostle of Yeshua The Messiah to those who, equal in honor with us, were worthy for the faith by the righteousness of Our Lord and Our Savior Yeshua The Messiah”.

Simon Pedro, Servo e Apóstolo de Yeshua, o Messias para aqueles que, iguais em honra a nós, eram dignos da fé pela justiça de Nosso Senhor e Nosso Salvador Yeshua, o Messias”.

A NRSV e a NAB, trazem: “the righteousness of our God and Savior, Jesus Christ“.

a justiça de nosso Deus e salvador Jesus Cristo” (NAB).

O NAB acrescenta esta nota de rodapé: “As palavras traduzidas por nosso Deus e salvador Jesus Cristo também poderiam ser traduzidas como” nosso Deus e do salvador Jesus Cristo”. A NRSV também acrescenta na nota de rodapé: “Ou do nosso Deus e do Salvador Jesus Cristo“. Portanto, é bastante claro que os eruditos trinitários não estão de acordo, como os trinitaristas gostariam que todos acreditassem.

Codex Sinaiticus: evidência de manuscrito muito importante

“O Codex Sinaiticus é um documento muito importante. Este manuscrito foi feito entre 325 e 360 d.C. e é provavelmente o manuscrito mais antigo que temos da Bíblia. Este manuscrito não diz “a justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo”. Em vez disso, diz: “justiça do nosso Senhor e do Salvador Jesus Cristo”. Há também outros manuscritos que lêem “Senhor” em vez de “Deus”. As evidências do Codex Sinaiticus nos mostram que não podemos ter certeza de que Pedro escreveu “nosso Deus e Salvador”. Este fato por si só anula completamente a afirmação trinitária sobre este verso.

A seguir, a imagem real do manuscrito do Codex Sinaiticus em 2 Pedro 1: 1. As letras gregas circuladas que se parecem com “KY” são uma forma nomen sagum da palavra grega kyrios (“senhor”)

Evidência interna

A evidência interna também sugere fortemente que a tradução do Sinaiticus está correta. Em nenhum outro lugar nas Escrituras, Jesus é chamado de “nosso Deus e Salvador”, mas Pedro se refere regularmente a Jesus como “Senhor e Salvador” nesta mesma carta.

1:11: reino do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

2:20: no conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo.

3: 2: mandamento do Senhor e Salvador.

3:18: no conhecimento do Senhor nosso e Salvador Jesus Cristo.

Os apologistas trinitários também gostariam que todos supusessem que “o Senhor” em todos os versículos acima é Jesus. No entanto, também não é totalmente claro se a palavra “Senhor” em 1:11 e 3:18 se refere a Deus o Pai ou a Jesus. Com relação a 2 Pedro 1:11, compare Efésios 5: 5 e Apocalipse 11:15. Concernente a 2 Pedro 3:18 compare Judas 1:25.

Com base nas evidências disponíveis, e com relação às anotações do manuscrito, creio que as evidências indicam que Pedro provavelmente escreveu “Senhor e Salvador” em vez de “Deus e Salvador”. No entanto, embora eu ache que isso é mais provável, concluo que a evidência para a tradução autêntica de 2 Pedro 1: 1 não pode ser determinada com base nos fatos disponíveis e uma avaliação imparcial desses fatos. Com base nas evidências disponíveis, simplesmente não se pode concluir decisivamente se a evidência do manuscrito originalmente dizia “Deus” ou “Senhor”.

Enfim, não há nenhuma razão para supor que haja alguma evidência confiável de que Pedro está aqui identificando Jesus como Deus. A evidência do manuscrito é extremamente significativa, lançando sérias dúvidas sobre a interpretação que os trinitaristas desejavam ser autêntica. E a evidência interna também não apóia a alegação trinitária. Simplesmente não há evidência confiável para concluir que Pedro identificou Jesus como “Deus”. A única coisa que encontramos aqui é a ilusão da parte dos trintários”. (3)

Leia também o artigo sobre 2 Pedro 1:1 redigido por Valdomiro Filho

(1) FILHO, Valdomiro – Tito 2:13

(2) Idem

(3) Angelfire – 2 Pedro 1:1

Anúncios